O valor de uma mãe que crê

2 Tm 1:5: “pela recordação que guardo de tua fé sem fingimento, a mesma que, primeiramente, habitou em tua avó Lóide e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também, em ti.” 

Se eu perguntasse a você qual é a melhor mãe do mundo, qual seria a sua resposta? Bem, não posso dizer precisamente qual é a sua resposta, mas acredito que é seguro afirmar que a maioria das pessoas responderiam que a melhor mãe do mundo é a deles mesmos.

De fato, essa é uma disputa impossível, não há como calcular com exatidão o valor de uma mãe em todos os seus aspectos e influência, não se pode comparar entre uma e outra aos olhos de seus amados filhos, mas há algo que certamente irá diferenciar uma mãe de outra, a sua fé.

Não sabemos muito sobre Lóide e Eunice, avó e mãe de Timóteo, mas sabemos a importância da fé dessas mães para o futuro pastor de Éfeso e para todos os cristãos do mundo que podem ler as duas cartas inspiradas que Paulo escreveu para ele e serem edificados através dessa fé passada de geração em geração.

A fé de uma mãe define o modo como irá criar seus filhos, a fé de uma mãe define o alvo que ela tem para seus filhos, a fé de uma mãe define sua visão e missão pessoal dentro da família. Segundo Lucas (Até.16.1) Eunice era uma judia crente casada com um grego, neste lar culturalmente dividido, essa mãe precisou desenvolver uma fé perseverante para permanecer firme contra todas as dificuldades inerentes a sua condição familiar para forjar seu filho na verdadeira fé cristã.

Segundo Paulo (2Tm.1.5) Eunice possuía uma fé sincera, sem fingimentos, isto é, uma fé que não era somente de palavras, mas que podia ser vista em sua vida diária. De fato, somente uma fé sincera pode gerar fé sincera nos corações, isto porque as pessoas tendem a ouvir mais o que fazemos do que aquilo que dizemos, a fé sincera de uma mãe (ou de qualquer pessoa) cativa as afeições e valida nosso discurso encorajando outros a viverem para Cristo.

Finalmente, podemos ver o valor de uma mãe através de uma fé discipuladora como a de Eunice. Paulo lembra a Timóteo da fé em que foi ensinado desde a infância (2Tm.3.14-15) para o fortalecer nos momentos de provação. A exortação apostólica enfatiza que o treinamento (outra possível tradução para “ensinado” aqui no texto) de Timóteo aconteceu desde a infância, ou mesmo, dentro do ventre materno, como também pode ser traduzido.

Esse poderoso amor vem da fé no Deus que nos amou primeiro, que capacita mães e filhos a viverem esse amor em suas vidas comunicando essa fé as próximas gerações, que você possa experimentar isto em sua vida.

Jesus te abençoe. Pr. Eduardo Nunes

Quando o crime (parece que) compensa

Sl.73.3 Pois eu invejava os arrogantes, ao ver a prosperidade dos perversos.

Acredite, existem alguns países onde o crime parece compensar, eu sei que você deve estar achando isso meio estranho, mas é a mais pura verdade, mesmo que você não esteja acostumado a ver esse tipo de coisa, existem alguns lugares no mundo (não como no seu honesto país, claro!) onde a impunidade domina.

Nesse país, que você não conhece, assaltos acontecem a luz do dia e o povo trabalhador não pode andar em segurança pelas ruas, nesse longínquo país as pessoas aceitam e oferecem suborno em troca de pequenos favores pessoais, lá a maioria prefere comprar produtos piratas, mesmo que estes financiem o crime organizado e fira todas as leis do comércio legal, nesse país tão estranho os líderes que representam o povo roubam o dinheiro público e escondem até na cueca porque os bolsos já estão bem cheios, lá os magistrados superiores votam e mudam as leis para se favorecerem e condenam o povo a serem expectadores deste circo de horrores. Tudo isso pode parecer muito estranho para você eu imagino, mas acredite, existe um país onde o crime realmente parece compensar.

Não é difícil então, em um país como esse, alguns pensarem como Asafe pensou no início deste salmo, afinal, será que ser justo vale a pena? Às vezes podemos nos flagrar tendo inveja dos perversos e arrogantes, abandonar apenas por alguns instantes nossos valores e princípios de fé e agir como aqueles que não têm Deus, pois afinal, parece que está tudo dando certo para eles não é mesmo?

Que bom que Asafe percebeu o erro que estava cometendo antes de ser tarde demais, ele nos conta que após sofrer muito vendo a prosperidade dos ímpios, resolveu ir à igreja, foi ao templo e Deus lhe fez perceber que mais importante que o momento atual na vida de um ímpio, era o fim de sua vida. Aqui, nesta vida, é até possível que alguém fique impune pela lei dos homens por seus crimes cometidos, mas certamente não escapará da justiça de Deus, alguém pode até debochar de Deus nessa vida, mas implorará por clemência no por vir quando estiver face a face com o Altíssimo.

Não se engane, o pecado pode mesmo parecer proveitoso, como uma mentira que nos livra de alguma coisa, um desejo saciado que parece ser irresistível, porém, sempre cobrará um preço mais alto que pretendíamos pagar. Jesus viveu humildemente em obediência a Deus, foi acusado injustamente, preso, julgado, condenado e executado, contudo, no final o túmulo ficou vazio e o trono recebeu o Rei da glória, um dia os tronos da injustiça serão despojados para que o inferno colha aqueles que preferiram a glória desse mundo. Vale a pena buscar a justiça e retidão, mesmo em um mundo onde o crime parece compensar, não tenha inveja dos ímpios, espere no Senhor.

Jesus te abençoe! Pr. Eduardo Nunes

 

O poder transformador do evangelho

Você já experimentou alguma transformação radical em sua vida. Me refiro aos mais diversos aspectos que a vida pode nos proporcionar através do esforço e ganho pessoal ou pelo mérito; seja no trabalho com uma promoção, no resultado de vestibular onde o tão sonhado desejo de ingressar em uma faculdade, o casamento ou a notícia da chegada do primeiro filho. Bem, essas e outras conquistas faz com que haja grandes transformações em nossa vida; algumas geram impactos de mudanças temporárias, outras mudanças eternas. Caso tenha experimentado algumas dessas transformações, nada se compara ao êxtase da verdadeira transformação que o evangelho pode nos fornece por meio do poder do Espirito Santo.  

Em uma declaração de Vance Havner, um grande teólogo e escritor protestante, ele diz: Não vamos transformar o mundo pela crítica nem pela conformidade, mas sim pela combustão dentro de vidas inflamadas pelo Espírito de Deus.

A Igreja primitiva no livro de Atos dos Apóstolos não tinha nada do que consideramos essencial para o sucesso hoje – propriedades, dinheiro, influência política, status social -, no entanto, ganhou multidões para Cristo e viu a implantação de inúmeras igrejas por todo o mundo romano. Isso se deu pelo poder do Espírito Santo que capacitava seu ministério. Os primeiros cristãos eram pessoas “inflamadas pelo Espírito de Deus”. Esse mesmo poder do Espírito Santo encontra-se a nossa disposição hoje para nos tornar testemunhas mais eficazes de Cristo. Quanto melhor entendermos a forma como o Espírito operou em Pentecostes, mais capazes seremos de nos relacionar com ele e de experimentar seu poder. O ministério do Espírito é glorificar a Cristo na vida e no testemunho do cristão (Jo 16:14), e é isso o que importa. Atos 2.37-47, nos ajuda a entender a ação do poder transformador do Espírito Santo mediante o registro das experiências na vida da Igreja.

  1. O poder do evangelho ocasionou:
  • Ouve uma profunda convicção do pecado. A mensagem compungiu-lhes o coração. v.37;
  • Ouve dúvida: o que devemos fazer? v.37;
  • Pedro responde de forma clara. v.38 – arrependam-se;
  • A aceitação da mensagem. v.41 – eles arrependeram.
  1. Quais foram os frutos do poder do evangelho:
  • Perseveravam na doutrina e na oração. vv.42,46;
  • Amavam-se de coração. v.42;
  • Lembravam-se do Senhor, no partir do pão. v.42,46;
  • Cuidavam-se mutuamente. vv.44,45;
  • Louvavam a Deus. v.47;
  • O número dos salvos aumentava diariamente. v.47.

Pr. Felipe Abreu

Quando o céu entra em sua vida

 Lc.1.37 ​Porque para Deus não haverá impossíveis

Geralmente as pessoas ficam bem animadas quando recebem alguma visita importante. Seja alguém que admiramos ou um parente querido, ficamos alegres com sua companhia. Agora imagine como foi para Maria receber a visita do anjo Gabriel, em um dia comum na humilde cidade de Nazaré, sendo surpreendida por tão grande esplendor, e ouvindo uma notícia tão maravilhosa.

O evangelista propôs buscar os fatos sobre Jesus de um modo simples, perguntando às testemunhas oculares destes eventos. Aparentemente seu método também influenciou sua narrativa, vemos Lucas mostrando a beleza do extraordinário de Deus em meio às circunstâncias ordinárias do dia a dia, como a aparição de um anjo em um simples dia comum da pequena Nazaré. A simplicidade da cena contrasta com a grandiosidade da mensagem, seu conteúdo, seu fundamento e seus efeitos.

O conteúdo da mensagem é o próprio Senhor Jesus, o anjo anuncia que Maria irá conceber, mesmo sendo uma virgem, destacando o fato de que esse filho seria um ser humano com todas as suas limitações naturais, porém sem pecados, porque também seria Filho do Altíssimo, ressaltando sua natureza divina, isto é, a Segunda Pessoa da Trindade.

O fundamento da mensagem não está nos méritos de Maria, ela não era divina, nem perfeita, Lucas destaca que o anúncio do Salvador está firmado na soberania, na graça e na misericórdia de Deus. Por isso, os efeitos dessa mensagem devem gerar em nós humildade e obediência que é motivada pela fé em Jesus.

É pelo evangelho que o céu entra em nossa vida, para que nos dias comuns, vivamos o extraordinário das coisas que vem do alto, em humildade, piedade e obediência. Nestes dias tão difíceis, renove sua fé nessa mensagem de esperança, o Deus que enviou seu Filho para nos salvar, está no controle de todas as coisas, e para Ele, nada é impossível.

Jesus abençoe. Pr. Eduardo Nunes

A Mulher no eterno plano de Deus

Gn.1.27 Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 

Independente de sua idade, sexo ou posição social, a sua vida já foi tocada positivamente pela vida de uma mulher. Seja no amor de uma mãe, no carinho de uma esposa, na ajuda de uma irmã, no apoio de uma amiga, somos constantemente abençoados por Deus ter planejado a criação da humanidade com o homem e a mulher, dentro de seu eterno propósito.

Deus disse que não era bom que o homem ficasse só (Gn.2.18), o Criador do universo sabia que sua criação necessitava de uma companheira idônea, sem a qual seu maravilhoso plano não seria cumprido. A bíblia nos ensina que a mulher é semelhante ao homem na sua origem, em sua espiritualidade e em seu propósito, é a realidade do pecado que faz com que tantas divisões e injustiças aconteçam repetidamente, contudo, Deus manifesta em sua Palavra o maravilhoso papel da mulher em seu plano redentivo.

Através das Escrituras, vemos Deus chamando e usando poderosamente mulheres que creram em seu poder, foram influentes em sua geração, confiaram nas promessas e não se abalaram em meio as lutas. Deus santifica a vida das mulheres, seu propósito é muito mais digno do que a imagem distorcida que o mundo lhes apresenta, mais do que o valor da beleza externa, Ele restaura sua beleza interior (1Pe.3.3 – 4), mais do que autossuficiência e independência, Ele provê uma vida vitoriosa no exercício da piedade cristã (Lc.10.39), mais que fama e admiração, Ele confia as mulheres a missão de ser mestras do bem para a próxima geração (Tt.2.3 – 5).

Porém, há ainda algo mais belo e significativo que vemos na Palavra de Deus. Ao falar de como a relação do homem com a mulher aponta para a relação de Cristo com a igreja, Paulo diz em Ef.5.32 “Grande é este mistério, mas eu me refiro a Cristo e à igreja., o que nos faz entender que, quando Deus nos criou ele já tinha esse plano em mente, de apontar para sua redenção em Cristo, através de nós. As mulheres são chamadas para fazer parte do eterno plano de Deus, refletindo a beleza da união com Cristo em todos os aspectos de sua vida, exalando o bom perfume do Noivo, o honrando e servindo em amor, e glorificando a Deus com sua feminilidade.

Que Deus levante mulheres assim em nossa geração, e que sejamos gratos pelas muitas mulheres que, vivendo para a glória de Deus, tanto nos abençoaram. Parabéns a todas as mulheres pelo seu dia!

Jesus abençoe. Pr. Eduardo Nunes

Como Deus restaura todas as coisas?

Lc 1:17: “E irá adiante do Senhor no espírito e poder de Elias, para converter o coração dos pais aos filhos, converter os desobedientes à prudência dos justos e habilitar para o Senhor um povo preparado.”

Um tipo de programação televisa que faz muito sucesso hoje em dia são os programas de restauração, daqueles que as pessoas se inscrevem para ter sua casa totalmente reformada, ou seu carro repaginado, e, às vezes, até mesmo a aparência melhorada. Eu acredito que uma das grandes razões que nos fazem gostar de programas como esses é o desejo de ver algo quebrado reestabelecer sua funcionalidade.

Há uma sensação dentro da alma humana que as coisas não deveriam ser assim, que deve haver uma alternativa melhor de se viver, que esse mundo precisa de restauração, e não estamos enganados, é exatamente isso que precisa acontecer. A Bíblia chama essa restauração de redenção, Deus está redimindo o mundo do pecado para a beleza de sua glória.

No plano redentivo de Deus, Ele escolheu enviar seu Filho no tempo e no espaço, encarnado, para nos substituir em uma vida de perfeita obediência, em morrer em nosso lugar e ressuscitar ao terceiro dia nos fazendo justos diante de Deus, e é assim que Deus está restaurando todas as coisas em sua criação.

Zacarias recebe a visita de um anjo para anunciar que seu filho seria o precursor do Messias, preparando o caminho do Senhor. E ao escolher esse casal, simples, piedoso e que vivia uma tragédia pessoal por não ter filhos, vemos que essa restauração acontece através de nós. Ele usa pessoas comuns, pessoas que têm prazer em sua Palavra e até mesmo pessoas que vivem tribulações e dificuldades nessa vida.

Isso significa que Deus não está sendo surpreendido com nossos tropeços e fracassos, pelo contrário, Ele já os conhece individualmente e continua nos usando em sua obra, apesar de nós, pois sabe que somos pó, e até mesmo nossas fraquezas são oportunidades para sua graça e misericórdias ficarem ainda mais evidentes.

Finalmente, aprendemos que Deus está restaurando todas as coisas por amor a nós, nessa passagem, Isabel reconhece que sua gestação era uma evidência do amor de Deus por ela, as muitas orações que eles fizeram não ficaram perdidas no tempo, não expiraram no espaço, mas cada uma delas estava ainda diante de Deus, e agora Ele ouviu, atendeu o pedido e a expectativa e ainda superou tudo o que ela podia imaginar, para cumprir seu plano de restaurar todas as coisas, e também por amor a seus filhos que viviam oprimidos. Deus ainda usa pessoas como nós, apesar de nós e por amor a nós, creia que Ele é poderoso para fazer muito mais que possamos imaginar (Ef.3.20) e que no final, veremos a beleza das coisas como elas deveriam ser.

Jesus te abençoe. Pr. Eduardo Nunes

 

Inimigos do Evangelho

Entre os vários inimigos que o Evangelho possui, gostaria de destacar um em importante, na qual não atenta contra a igreja somente de forma externa por não cristãos, mas sim por parte interna ou seja, aqueles que se dizem cristãos e estão longe do verdadeiro evangelho. Suas ações externas são desconexas com suas ações internar. O nome disso é: legalismo. 

Você sabe o que é?  É a tentativa de acrescentar algo à obra completa de Cristo. Todo o sistema, regras, expectativas ou regulamentos que condiciona a salvação ao esforço humano de agradar a Deus, como uma recompensa por desempenho. O legalismo é o meio humano de tentar através da obediência de regras de homens, ser aceito e amado por Deus, anulando a Graça misericordiosa.

A maneira como Jesus utilizava as parábolas nos surpreende pelo seguinte aspecto; elas vão ilustrar e esclarecer a verdade para aqueles que têm ouvidos, mas tem efeito contrário para aqueles que se opõem e rejeitam Cristo. O simbolismo esconde a verdade de qualquer um que não tenha a disciplina ou o desejo de procurar pelo significado pretendido por Jesus. É por isso que Cristo adota esse estilo de instrução.

No texto de Lucas 18.9-14, através desta parábola apresentada por Jesus, Ele apresenta dois feitios; um que se diz “amigo do “e”vangelho”, o fariseu, e outro que era visto como “inimigo do “E”vangelho”, o publicano.

Para uma possível ilustração, gostaria que imaginasse a imagem de uma estátua e uma espoja; de forma que se a graça de Deus desce como uma chuva, podemos fazer duas escolhas, ou ser uma estátua ou uma espoja. A estátua com sua imagem representativa imponente, mas sempre repelindo a chuva, e uma espoja sem qualquer imponência ou com grande representatividade, mas sempre limpando e absolvendo a chuva.

Esta estátua, o fariseu, em seu legalismo apresentava algumas características

a) Em sua oração, não deixava de apresentar o “outo-elogio”, um tributo a si mesmo;

b) Uma longa lista de realizações pessoais;

c) Uma autoconsciência que representava propriamente um sinal seguro de si mesmo, mas sem profundidade da graça;

d) Uma imensa alegria por não pecar em um caminho, enquanto ele estava pecando em outro de forma muito pior;

e) Uma grade convicção intelectual em suas orações, mas sem nenhum contato com Deus.

No final das contas, acho que ele não apenas orou para si mesmo, mas também deu o dízimo para sua própria conta de poupança e jejuou para sua própria saúde!

Ele podia fazer todas as coisas certas, mas sem sucesso com o coração errado.

a) O orgulho é tão sutil que, se não tomarmos cuidado, ficaremos orgulhosos de nossa humildade;

b) Quando isso acontece, nossa bondade se torna maldade, nossas virtudes se tornam vícios.

A oração do fariseu mostrou que ele era egocêntrico; mostrou que ele era vaidoso; mostrou que sua moralidade era baseada em negativas; mostrou que sua adoração era baseada em coisas externas.

Mas se voltarmos para a oração do publicano, a oração de espoja, encontramos a humilhação de um coração quebrantado e não legalista. Sua oração mostrou:

a) Que ele era humilde perante Deus e os homens;

b) Mostrou que estava mais ciente de seus próprios pecados do que dos outros;

c) Mostrou que não estava preocupado em obter riqueza material;

d) Mostrou que ele estava consciente de sua posição diante de Deus;

e) Sua oração – era como a de Davi em Salmos 51: 1Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; 

De acordo com a multidão de Suas ternas misericórdias, Apague minhas transgressões. ”

Que choque para seus ouvintes ao ouvir que o pecador foi embora justificado, e não o homem santo!

Através da atitude do publicano, precisamos aprender e combater algumas práticas legalistas tais como:

Legalismo doutrinário: proibir o que Deus não proíbe e ordenar o que ele não ordenou.

a) Acreditar que você é justo em si mesmo, com base em seu zelo e compromisso com a lei de Deus. Paulo combate isso em (Rm 10.3-4) – “Porquanto, ignorando a justiça que vem de Deus e procurando estabelecer a sua própria, não se submeteram à justiça de Deus. Porque o fim da Lei é Cristo, para a justificação de todo o que crê.“);

b) Paulo, alertou e exortou a igreja de Gálatas – (Gl 3.1-4) – uma das principais exortações da carta está linkada com a natureza do evangelho e a suficiência plena de Cristo para a salvação pela fé – eles queriam acrescentar algo à obra completa de Cristo;

c) Impor aos outros um padrão de santidade externa na qual Deus não estabeleceu em sua Palavra.

Legalismo pratico: estar intelectualmente comprometidos com as doutrinas da graça e ter um “discurso vazio” quanto à liberdade que Cristo comprou para os crentes, ao mesmo tempo em que negamos isso por meio de nossas palavras e ações.

a) Começam a desprezar os outros e julgar aqueles que não experimentaram o que ele experimenta.

Devemos aprender que a cura para o legalismo precisa passar pelos seguintes aspectos:

A doutrina da justificação pela graça e misericórdia de Deus.

Compreender que:

a) Grandes pensamentos de si e grande graça nunca andam juntos;

b) Coisas leves, como palhas e penas, são carregadas no alto; bens valiosos mantêm seus lugares e permanecem embaixo, não porque estão acorrentados ou presos lá, mas em virtude de seu próprio peso;

c) Precisamos apreender que assim como um pássaro deve primeiro se abaixar para voar, a alma deve se humilhar antes de encontrar Deus.

Enfim podemos gritar o grito de um coração libertado do legalismo:

“Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim. Não anulo a graça de Deus; pois, se a justiça é mediante a lei, segue-se que morreu Cristo em vão”. (Gl 2. 20–21).

Pr. Felipe Abreu

Fato Ou Ficção?

​“para que tenhas plena certeza das verdades em que foste instruído. Lc.1.4 

 Você já repassou alguma mensagem pelo celular sem saber que era falsa? Hoje em dia isso tem se tornado muito comum, são as famosas “fakenews”, e há muitas delas circulando por aí. Por causa disso, muitas pessoas têm desenvolvido uma atitude de suspeição, de dúvida sobre tudo o que se lê ou ouve através desses meios de comunicação, e a bem da verdade, essa postura é correta quando se trata de informações repassadas para nós, é necessário checar as fontes, pesquisar em sites seguros de notícias antes de passar para frente algum conteúdo digital.

Contudo, quando se trata da fé, essa atitude de dúvida e incredulidade já existe há muito tempo, até mesmo nos dias dos apóstolos e autores sagrados. Lucas sabia que, apesar de muitos relatos que circulavam sobre Jesus, ainda havia muitas pessoas que duvidavam da veracidade deles, por isso, ao introduzir seu evangelho, trata de apresentar as razões pelas quais devemos crer nas boas novas de Jesus.

Primeiramente ele nos diz que devemos crer no evangelho por seu testemunho histórico. Lucas fala aqui de suas fontes, de onde vêm essas notícias? Qual é sua origem? E ele nos responde dizendo que o evangelho pode ser confirmado pelas testemunhas oculares e ministros da palavra, isto é, nos dias de Lucas, havia ainda um grupo de pessoas que viram o ministério de Jesus, e podiam dizer sobre a veracidade dos fatos. Hoje essas testemunhas oculares já estão mortas, mas a força do argumento de Lucas nos dá convicção de que o evangelho não é uma lenda, uma mitologia, tudo o que ele diz realmente aconteceu.

Lucas também apresenta seu método de pesquisa, e nos ensina que podemos crer no evangelho por seu compromisso com a verdade. O evangelista fez uma pesquisa pessoal, diz que fez uma acurada investigação sobre esses fatos, o médico se tornou historiador, um investigador em busca da verdade. O evangelho não é uma ideologia ou uma bandeira, ele é a verdade, nosso compromisso não é defender o que nos interessa, mas nos submeter a verdade de Deus revelada em seu Filho, para que ela nos ilumine e nos firme no verdadeiro Caminho.

Finalmente, Lucas nos diz que o evangelho deve ser crido por seu apelo a consciência. Este é o objetivo de Lucas, que seus leitores tenham plena certeza da verdade, não é uma mensagem transmitida em corrente, não é algo frio e impessoal, mas algo que vem do nosso coração, que cremos, vivemos e compartilhamos. Devemos crer no evangelho porque ele nos transforma, molda e confronta para que sejamos a imagem do Filho de Deus. Que essa certeza fortaleça seu coração nos momentos de dúvida e te ajude a permanecer no verdadeiro Caminho.

Jesus te abençoe. Pr. Eduardo Nunes

 

Compreendendo o evangelho

“Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo” Filipenses 3.7 

É bem comum, ver uma criança perder total interesses pelos muitos brinquedos que já possuí, quando ganha outro brinquedo novo. Para a tristeza (para não dizer falência) dos pais as crianças se cansam de seus presentes bem mais rápido que desejamos, e a alegria que irradiam quando ganham um presente logo se dissipa no passar dos dias.

As coisas não mudam muito quando ficamos mais velhos, sonhamos, trabalhamos e conquistamos diplomas, empregos, carreiras, famílias, bens, para tão logo, mergulhados em monotonia, corrermos atrás de outros “brinquedos” mais interessantes. Este é um ciclo natural de muitas vidas, andamos buscando algo que nos satisfaça, nos complete, nos dê sentido na vida, mas fatalmente descobrimos que quanto mais tentamos tapar esse buraco na alma com as coisas desse mundo, maior ele fica, até que um dia devora nossa alegria e vigor.

O evangelho é a boa notícia de que há sim, algo incomparável, grande o suficiente para preencher nosso vazio, belo o suficiente para nunca deixar de arrebatar nosso coração, algo que, quando ganhamos, todo o resto perde o valor e jamais nos casaremos de nos deleitar nele, sim! Existe algo assim, ou melhor, alguém, Jesus. Paulo teve muitas glórias e honras desse mundo antes de Cristo, mas nenhuma delas tinha o poder de preencher sua alma, ele tinha tudo o que poderia desejar, mas ainda assim estava perdido, mas se encontrou em Jesus (Fp.3.9a).

Compreendemos o evangelho quando percebemos que todo o lucro desse mundo não pode se comparar com a preciosidade de Cristo em nós. Todos os tesouros desse mundo podem ser tirados de você, sua beleza, juventude, títulos, bens, saúde, etc. Mas, o que Jesus te oferece nada nem ninguém pode tirar de você, a redenção de uma vida perdida, a abundância de uma vida satisfeita n´Ele e a eternidade de uma vida que será sustentada por Ele na restauração de todas as coisas. Creia nesse evangelho, sirva a Jesus e descubra o verdadeiro tesouro que de Deus para você.

Jesus te abençoe! Pr. Eduardo Nunes