Transplante de urgência

Ez 11:9: “Tirar-vos-ei do meio dela, e vos entregarei nas mãos de estrangeiros, e executarei juízos entre vós.”

Dentro da sala de cirurgia 2A do hospital Groote Shuur, na Cidade do Cabo, no dia 03/12/1967, estava sendo escrita uma importante página da história da medicina mundial. Por volta das 06h, sob a condução do Dr. Christiaan Neethling Barnard, cirurgião sul-africano, o coração de Denise Darvall voltou a bater, só que desta vez, dentro do peito de Louis Washkansky, acabava de acontecer o primeiro transplante de coração humano no mundo. Foi um feito global, estampou as capas dos principais jornais e transformou Barnard em uma celebridade instantânea. Até hoje consideramos isso algo impressionante, alguém receber no peito o coração que era de outra pessoa e funcionar perfeitamente, como uma peça de automóvel. No início muitas questões começaram a surgir, será que quem recebe o coração de outra pessoa recebe também seus sentimentos, sua personalidade? Hoje sabemos que não é assim que funciona, mas, mesmo assim, o coração continua sendo apontado como reduto de quem nós realmente somos, mais do que aparentamos externamente. Nos tempos bíblicos o entendimento era semelhante, o coração não era apenas a sede das emoções, mas também dos pensamentos e vontades, ao falar do coração, as Escrituras se referem a nossa parte interna, o homem interior, mas que direciona tudo o que somos exteriormente. Muito tempo antes de Christiaan Barnard realizar seu famoso feito, o Senhor já falava de um tipo de transplante que iria fazer, tirar o coração de pedra e colocar em nós um coração de carne. É interessante porque, nesse caso, mais uma vez percebemos a soberania de Deus em resolver um problema insolúvel para nós, isto é, não há como vencer o pecado externamente, é necessária uma transformação interna, uma que não somos capazes de realizar, somente Deus pode. Deus sabe que a dureza de nossas atitudes advém de um coração de pedra, somente um novo coração pode produzir uma nova vida, não há esforço nem boas obras que possam produzir tal coisa. Em Cristo nós somos feitos novas criaturas, tudo se faz novo, porque recebemos um novo coração, capaz de amar a Deus e odiar o pecado, dirigido pelo Espírito Santo em direção a vontade de Deus. Jesus te abençoe.

Ele nos deu um Pai

Lc.2.49 Não sabíeis que me cumpria estar na casa de meu Pai? 

Eu não conseguia conversar com mais ninguém quando esse menininho de aproximadamente 7 anos estava no recinto. Sua avó estava visitando a igreja que eu pastoreava naqueles dias, sua mãe trabalhava muito e quase não tinha tempo para passar com ele, mas o pior de tudo era que não havia um pai para que ele pudesse se relacionar ao menos alguns fins de semana.

É claro que ele tinha um pai, mas o fato este menino nunca o conheceu, morava com a avó, via a mãe de vez em quando, e era assim que ele vivia. Quando ele conheceu a igreja, ficou muito animado, não era um aluno fácil de ensinar, mas estava lá todos os domingos. Mas, quando as aulas finalizam e ele me via em qualquer lugar, eu já sabia, podia desistir de conversar com mais alguém.

Ele me fazia todo tipo de pergunta só para me segurar a atenção mais alguns minutos, me cercava para eu não ser “roubado” por outra pessoa, e as vezes quebrava meu coração quando perguntava: “você é forte pastor?” eu dizia: “não muito, eu acho” e ele devolvia: “duvido que você consiga me pegar no colo”, “você não consegue! Consegue?”.

Esse era seu plano para ficar alguns minutos no meu colo, imagino que era o mais próximo que ele tinha de um colo de pai durante sua semana. Deus se revela a nós como Pai, e como nós precisamos do seu colo. Jesus fala pela primeira vez no evangelho de Lucas citando seu Pai (Lc.2.49), e faz a mesma coisa quando fala pela última vez neste evangelho (Lc.24.49).

Ele veio para nos revelar o Pai de forma pessoal, só Jesus pode chamar a Deus de “meu Pai” e mesmo assim nos ensinou a orar “Pai nosso”. Ele nos deu um Pai que trabalha mesmo enquanto estamos dormindo para que sejamos a imagem de seu Filho. Ele nos Deu um Pai que nos ama com amor eterno e foi ao extremo de enviar seu Filho Unigênito para morrer em nosso lugar, para que tenhamos sempre a certeza que, sim! Ele é forte, e sim! Ele consegue carregar você no colo! Jesus te abençoe.

O Centro de Tudo

Ef 1:10: “de fazer convergir nele, na dispensação da plenitude dos tempos, todas as coisas, tanto as do céu, como as da terra;”

Foi Nicolau Copérnico que no século XVI fomentou o debate sobre o centro do sistema solar, a teoria dominante em seus dias, desenvolvida por Aristóteles e reforçada por Ptolomeu, era a “geocêntrica” que propunha a terra como sendo o centro do nosso sistema solar, Copérnico, que só permitiu a publicação de sua teoria após sua morte, propôs o “heliocentrismo”, princípio reconhecido nos dias atuais, tendo o Sol como centro do sistema solar. O assunto foi pauta de muitos debates e motivo de muitos serem queimados na fogueira da igreja naqueles dias. Triste traço de nossa história, não somente pela crueldade e autoritarismo, mas pelo fato de um assunto periférico ocupar o lugar de assuntos tão mais relevantes.

Mais importante que falar sobre o centro de nosso sistema solar, Paulo trata do “centro de tudo”, o ponto onde tudo se converge, os tempos, a história, o mundo, todo o universo, até mesmo as coisas do céu. O ponto para o qual as Escrituras sinalizam desde Gênesis e exalta até Apocalipse. O ponto onde nossas vidas se encontram, todas as pessoas, de todos os tempos, e aquelas que ainda irão nascer, o ponto onde todos podem se encontrar ou se perder. O ponto mais importante da existência, que Deus aprouve revelar “na plenitude dos tempos”, isto é, no tempo determinado, na encarnação do próprio Deus, Jesus, Aquele no qual tudo se converge, o centro de tudo, o mais importante para nós. Ser cristão é entender essa verdade transcendente, é ter Cristo como o centro de tudo, por que dele, por ele e para ele são todas as coisas. É viver a partir d’Ele e, ao mesmo tempo, nos encontrarmos n’Ele, reconhecermos seu profundo amor, eterno amor, e supremo propósito para nossa vida.

Sei que muitos assuntos secundários ocupam sua mente hoje, mas quero que você pense no principal, no assunto mais importante, Jesus, quem Ele é para você, você acredita em seu amor? Já entregou sua vida a Ele? O centro de todas as coisas, veio a esse mundo por você, que nada então seja mais importante em sua vida.

Jesus te abençoe.  Pr. Eduardo Nunes

O presente do pai presente

“serei vosso Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso.” 2Co 6:18

Estava com meus filhos no carro voltando para a casa quando vi algo que me tocou profundamente. Um homem empurrando um carrinho de mão e uma criança que corria até os cantos da rua e lixeiras trazendo nas mãos latinhas de alumínio e um sorriso no rosto, jogava as latinhas no carrinho de mão e pulava dentro dele, ao que o homem acelerava fazendo com que a criança se sentisse um verdadeiro piloto da Fórmula 1, em algum momento da cena eu ouvi a criança chamando o homem de pai.

A paternidade é um presente de Deus, muitos se esquecem disso, na correria do dia a dia, nas pressões dos padrões sociais que nos são impostos, na busca por conforto e independência financeira, podemos deixar o melhor para trás, aqueles que amamos e estão sempre conosco.

Neste dia dos pais quero sugerir que o melhor presente é a companhia real e calorosa que desfrutamos uns com os outros. Seu pai gostaria de uma caneca estilosa para tomar café, mas ele não trocaria seu abraço seguido de uma boa conversa por nenhum presente. Seu filho gosta de videogames e bons cursos, mas nada disso preencherá o espaço na vida dele que somente você pode ocupar.

Então aproveite, mesmo nas coisas mais simples do dia, para se alegrar com seu filho, lavando o carro juntos, recolhendo o lixo da casa ou fazendo um café. Aproveite, mesmo que sua vida esteja corrida, para ligar para seu velho pai e conversar sobre as notícias da semana, para sentar com ele e ouvir como as coisas eram “no seu tempo”, e dar risadas de piadas aleatórias.

Eu não pude evitar de pensar que, àquela criança, mesmo em sua simplicidade de vida, poderia ser mais feliz que muitas que moram em luxuosos condomínios da cidade, pelo simples fato de ter seu pai presente bem ao seu lado. Nossa relação com Deus é apresentada pelas Escrituras como a de filhos com seu Pai. Deus é mais que nosso Criador, não é verdade? Ele é cuidador, relacional, generoso, misericordioso, presente, para não dizer, onipresente, etc.

Nesta data onde celebramos o dia dos pais há muito para agradecer e refletir, devemos ser gratos pelos pais, sejam os biológicos ou aqueles que assumiram esse papel em nossa vida, mas é oportunidade de refletir na beleza e privilégio da paternidade como um presente, e buscar na imitação do nosso Pai celestial, o poder para sermos pais segundo a vontade de Deus e filhos que glorificam a Deus honrando seu pai. Jesus te abençoe!

Parabéns aos Papais!

 

Nas Mãos do Artista

Êx 4:2: “Perguntou-lhe o SENHOR: Que é isso que tens na mão? Respondeu-lhe: Um bordão.”

O leiloeiro anunciou o próximo item que receberia os lances, um velho e empoeirado violino Stradivarius, porém, mesmo possuindo a famosa marca, não recebeu muitos lances altos devido ao seu precário estado, quando estava para arrematar o velho violino por um baixíssimo preço, um homem se levantou da plateia, tomou o violino das mãos do leiloeiro, afinou suas cordas e o posicionou em seu ombro, logo alguns o reconhecerem e cochichavam “é Paganini”, o famoso compositor italiano Niccoló Paganini. Ele começou a tocar e a melodia inundou o ambiente, todos foram arrebatados pelas notas em perfeita harmonia e o timbre extraído daquele velho violino, ao finalizar e devolver o instrumento ao leiloeiro, os lances retornaram cada vez maiores até ser arrematado como item mais valioso daquele lote. Veja bem, tudo importa de em qual mãos estamos, um violino nas mãos de um leiloeiro vale um pequeno preço, mas nas mãos de Paganini é o item mais caro que existe, um bordão nas mãos de Moisés é só uma ferramenta para conduzir o rebanho, mas nas mãos de Deus é o instrumento que será usado para manifestar o seu poder, assim também o próprio Moisés, enquanto tentou fazer as coisas do seu jeito se tornou um assassino, fugitivo e exilado, porém agora, nas hábeis e poderosas mãos de Deus, está sendo preparado para se tornar o grande libertador de seu povo. O que você tem nas mãos? Será que é algo que você não tem dado nenhum valor, se é assim deve ser porque está nas mãos erradas, experimente colocar nas mãos de Deus, você verá o que Deus pode fazer com o pouco que você possui, você verá o que Deus pode fazer com um homem ou uma mulher que se coloca em confiança inteiramente nas mãos do Altíssimo. Jesus ao dar seu último suspiro na cruz disse: “Pai, nas tuas mãos entrego meu espírito”, Ele foi o exemplo máximo de submissão ao Pai, por isso Ele também nos ajuda a nós render nas mãos de Deus. Hoje você pode ser um instrumento desprezado, mas eis que o grande artista está no recinto, ele afina suas cordas, te posiciona e pode tirar de você a mais linda melodia que irá tocar muitos corações e finalmente, dar toda glória a Deus, que você seja assim.

Jesus te abençoe. Pr. Eduardo Nunes

O Dono da casa

Gl 2:20: “logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.”

Dizem que o grande missionário alemão, Jorge Müller, quando já estava avançado em idade, e ainda percorrendo o mundo pregando o evangelho, foi perguntado em uma entrevista “como o senhor ainda consegue fazer isso? Viajar tanto? Qual o segredo de Jorge Müller?” Ao que ele respondeu “o segredo de Jorge Müller é que Jorge Müller já morreu há muitos anos atrás… Hoje já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim”.
Somente alguém que verdadeiramente entendeu o evangelho pode afirmar algo assim, tudo bem, você já pode ter dito isso também, ou até cantado canções que citam esse texto, mas será que você realmente sabe o que significa dizer que Cristo vive em você?

Não é algo como ter um cantinho aconchegante na morada de seu coração onde Cristo possa se instalar, como uma visita ilustre, e que você vá nesse cômodo visitá-lo em horas de necessidade, não mesmo! Jesus não vem para viver em nós como visita, Ele vem para ser o dono da casa! Ele não pode ficar restrito a um quarto separado e escondido dos lugares sujos e bagunçados da casa, Ele vem para ter acesso ilimitado e ação irrestrita para mudar toda a decoração interna se necessário. Dizer que Cristo vive em nós, é declarar que nem somos capazes de viver nossa vida, é preciso que Ele assuma o controle e viva por nós, em nosso lugar, isso se chama dependência e é disso que o Evangelho trata, de não confiarmos mais em nós mesmos, mas unicamente em Cristo, dependendo dele para tudo, sim, T U D O! Exatamente como um ramo, que apenas RECEBE a seiva que a árvore lhe dá para assim, e somente assim, produzir algum fruto. Quero te perguntar mais uma vez, você pode dizer que Cristo vive em você? Tem dependido dele a cada instante de sua vida? Não tem agido de maneira independente em muitas de suas escolhas e preferências? Ele já tem mesmo a escritura da casa? Ele é o dono? Ele entra e pode mudar todos os espaços do seu coração? Se não, ore a Ele agora, dê-lhe acesso irrestrito, Ele já possuí, mas peça a Ele para que te ajude a entender e receber o que tem para sua vida, e assim, como um dependente ramo, sua vida frutifique sempre.

Jesus te abençoe. Pr. Eduardo Nunes

Mais rápido que os cavalos

Jr 12:5: “Se te fatigas correndo com homens que vão a pé, como poderás competir com os que vão a cavalo? Se em terra de paz não te sentes seguro, que farás na floresta do Jordão?”

Os cavalos são animais realmente fascinantes, além de serem dotados de força e beleza, também são capazes de atingir grandes velocidades. Das mais de 300 raças que existem, são os cavalos da raça Árabe os mais resistentes em provas de corridas, cuja a média de velocidade é de 35,5 Km/hora, contudo, o recorde mundial de é 69 Km/hora. Agora, dá para entender o contraste que Deus está propondo para Jeremias, se ele estava tão cansado correndo com homens, como seria quando tivesse que correr com cavalos? Isto é, como poderia alcançar grandes realizações, se já estava desistindo em meio as regulares? Essa analogia nos ensina preciosas lições, o profeta era comissionado por Deus para pregar uma mensagem dura a um povo rebelde, por isso, além de desprezado e ridicularizado muitas vezes, agora também estava sendo perseguido, prejudicado por seus opositores, por isso ele se atreve a reclamar com Deus, questionando porque o Altíssimo permitia que os maus prosperassem sobre ele, se sentindo abatido com toda essa adversidade. A resposta de Deus é surpreendente, Ele não alivia para o profeta, não passa a mão em sua cabeça, pelo contrário, ele o encoraja a encarar seus desafios atuais como preparação para desafios maiores que virão. Como você age diante de uma oposição? Quando crises se abatem? Você para? Você reclama da vida? Você se acomoda no primeiro obstáculo? Como você reage diante das portas fechadas? Lembre-se Deus está forjando você em sua fornalha, afim de te tornar um instrumento hábil e útil em suas mãos, se você desistir agora jamais experimentará os grandes feitos que estão reservados para aqueles que confiam em Deus e suportam a provação. Seja mais rápido que os cavalos, sim, encare cada pequeno desafio, cada pequena tentação, como um degrau a mais rumo ao seu potencial em Deus, não desista, fortaleça-se no Senhor, antecipe as dificuldades, encoraje-se no que Deus está fazendo em você. Jesus suportou a maior provação e oposição, hoje temos seu Espírito que nos capacita a continuar caminhando, correndo, até o dia que chegaremos na reta final, na linha de chegada, e eu espero, que você chegue a frente dos cavalos.

Jesus te abençoe. Pr. Eduardo Nunes

Aplicando o Evangelho na Vida Devocional

“E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade, ele nos ouve. 1Jo.5.14

Você se lembra de algum amigo ou amiga com quem gostava de passar horas conversando sobre qualquer assunto? Talvez você tenha alguém assim hoje mesmo, uma pessoa com quem gosta de estar e falar sobre a vida. Já parou para pensar por que algumas amizades nos oferecem esse prazeroso momento, ao passo que com tantas outras pessoas, temos dificuldades em abrir nosso coração?

Acredito que a grande diferença entre estes dois tipos de amizade é a confiança, ou a falta dela dependendo do caso. O que João está dizendo na conclusão de sua carta é que, se temos a certeza da vida eterna, fundamentada na fé em Jesus, o Filho de Deus, podemos ter um relacionamento com o Pai com a confiança de que podemos nos expressar livremente diante d’Ele.

Isto é o que chamamos de vida devocional, um relacionamento constante com Deus em liberdade, amor e edificação, através da leitura e meditação nas Escrituras, e em oração. Diferente de uma amizade comum, a vida devocional é mais que um momento agradável do dia (ainda que isto esteja certamente incluído no processo), mas algo essencialmente necessário para nós.

Pelo Evangelho, a boa notícia de Jesus e sua obra, aprendemos que não há mais separação entre nós e Deus, Cristo pagou o preço pelo nosso pecado, nos transformando de inimigos para amigos de Deus, sendo assim, não há nada que devemos temer, esconder ou ter dificuldade de expressar diante d’Ele, temos confiança, como diz João, essa é uma das bases da vida devocional.

Se você se sente mal compreendido, solitário, não consegue externar os sentimentos e pensamentos que nutre dentro de si, pare um pouco para pensar no que eu estou lhe dizendo, você tem liberdade e confiança para falar com seu Criador, ouvir sua voz pela Palavra, e pedir, humilde e sinceramente sua ajuda diária. Isto lhe fará não somente se sentir melhor, mas irá mudar sua vida, dar esperança em meio as dificuldades, corrigir seus desvios e santificar suas motivações. Busque hoje mesmo esse relacionamento com Deus e experimente a vida abundante que Ele promete.

Jesus te abençoe! Pr. Eduardo Nunes

Ajuste o seu foco

Quando você está a procura de algum item nas prateleiras de um supermercado, quando não consegue encontrar seu carro no estacionamento, ou quando não consegue encontrar o caminho de casa, você está precisando ajustar o seu foco. As vezes nossa dificuldade é conseguir concentrar nossa visão em um ponto que é mais importante, para, a partir dele, enxergar os cenário maior.

Quando olhamos para o cântico de Zacarias percebemos que todo seu louvor está conectado com um ponto específico que dirige sua maneira de enxergar a vida e compreender o sentido das coisas. Hoje somos uma geração difusa demais, fazemos, pensamos, assistimos muitas coisas ao mesmo tempo, respondemos as pessoas nos grupos de WhatsApp, lemos o e-mail e trocamos duas ou três palavras com quem estiver perto de nós.

Olhamos em todas as direções, porém, sem encontrar algo que possa dar sentido a todas as coisas, vivemos navegando num oceano digital, mas sem leme, sem vela, sem bússola, sem destino, ao léu, seguindo o fluxo da nova corrente marítima, do novo assunto, da nova moda, da nova “treta” midiática que ocupa a atenção dos comentários gerais.

Contudo, há sim algo no qual podemos nos firmar, há um ponto que devemos nos focar, em Deus e sua obra de redenção. É este o mais importante foco que dá sentido a nossa existência, é isto que Deus está realizando através da obra de seu Filho Jesus, revelando seu caráter e seu plano para nós. Zacarias se foca nisso para declarar seu louvor inspirado pelo Espírito Santo.

Ele focaliza o poder de Deus para resgatar nossa vida das garras do pecado, porque eu e você não podemos nos libertar sozinhos. Ele lembra da fidelidade de Deus em cumprir todas as suas promessas, nos habilitando para o servir todos os dias de nossa vida, saindo das mãos da tirania do pecado para sermos propriedade do bondoso Rei. Ele exalta a misericórdia de Deus em abrir nossos olhos para a terrível realidade do nosso pecado, oferecendo nova vida, luz e direção no caminho da paz.

Se você tem se sentido perdido, desmotivado, como se nada fizesse sentido para você, talvez hoje você precise ajustar seu foco para Cristo e sua redenção, confiando no poder de Deus e não em sua própria força, seguro em sua fidelidade que te capacita para encontrar seu propósito em servi-lo e descansando em sua misericórdia que te guia no caminho da paz. Que seu foco esteja nessa maravilhosa redenção.

Jesus te abençoe! Pr. Eduardo Nunes

O valor de uma mãe que crê

2 Tm 1:5: “pela recordação que guardo de tua fé sem fingimento, a mesma que, primeiramente, habitou em tua avó Lóide e em tua mãe Eunice, e estou certo de que também, em ti.” 

Se eu perguntasse a você qual é a melhor mãe do mundo, qual seria a sua resposta? Bem, não posso dizer precisamente qual é a sua resposta, mas acredito que é seguro afirmar que a maioria das pessoas responderiam que a melhor mãe do mundo é a deles mesmos.

De fato, essa é uma disputa impossível, não há como calcular com exatidão o valor de uma mãe em todos os seus aspectos e influência, não se pode comparar entre uma e outra aos olhos de seus amados filhos, mas há algo que certamente irá diferenciar uma mãe de outra, a sua fé.

Não sabemos muito sobre Lóide e Eunice, avó e mãe de Timóteo, mas sabemos a importância da fé dessas mães para o futuro pastor de Éfeso e para todos os cristãos do mundo que podem ler as duas cartas inspiradas que Paulo escreveu para ele e serem edificados através dessa fé passada de geração em geração.

A fé de uma mãe define o modo como irá criar seus filhos, a fé de uma mãe define o alvo que ela tem para seus filhos, a fé de uma mãe define sua visão e missão pessoal dentro da família. Segundo Lucas (Até.16.1) Eunice era uma judia crente casada com um grego, neste lar culturalmente dividido, essa mãe precisou desenvolver uma fé perseverante para permanecer firme contra todas as dificuldades inerentes a sua condição familiar para forjar seu filho na verdadeira fé cristã.

Segundo Paulo (2Tm.1.5) Eunice possuía uma fé sincera, sem fingimentos, isto é, uma fé que não era somente de palavras, mas que podia ser vista em sua vida diária. De fato, somente uma fé sincera pode gerar fé sincera nos corações, isto porque as pessoas tendem a ouvir mais o que fazemos do que aquilo que dizemos, a fé sincera de uma mãe (ou de qualquer pessoa) cativa as afeições e valida nosso discurso encorajando outros a viverem para Cristo.

Finalmente, podemos ver o valor de uma mãe através de uma fé discipuladora como a de Eunice. Paulo lembra a Timóteo da fé em que foi ensinado desde a infância (2Tm.3.14-15) para o fortalecer nos momentos de provação. A exortação apostólica enfatiza que o treinamento (outra possível tradução para “ensinado” aqui no texto) de Timóteo aconteceu desde a infância, ou mesmo, dentro do ventre materno, como também pode ser traduzido.

Esse poderoso amor vem da fé no Deus que nos amou primeiro, que capacita mães e filhos a viverem esse amor em suas vidas comunicando essa fé as próximas gerações, que você possa experimentar isto em sua vida.

Jesus te abençoe. Pr. Eduardo Nunes