Tempo de aprender – Lucas 2.52

O que você tem aprendido sobre a Bíblia, sobre Deus e sua ação? Aproveite este momento para resgatar com as crianças os ensinamentos bíblicos da Escola Dominical e do Turma da Hora. Reserve um momento com sua criança, invista em sua vida espiritual!

Estamos no mês de outubro, o famoso mês das crianças! Jesus também foi uma criança e, possivelmente, igual a todas as que temos aqui na igreja e em nossas famílias. Lucas, ao escrever o Evangelho, fez questão de ressaltar o crescimento do menino Jesus. Nesta ocasião, Jesus estava completando doze anos e o texto está intimamente ligado às expectativas e sonhos de uma criança em crescimento como as nossas. “Jesus ia crescendo em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e dos homens”.

O Jesus criança cresceu não como um menino-prodígio, mas como um ser humano igual a nós, exceto no que se refere ao pecado. Ele teve uma infância normal e saudável no convívio com seus familiares e amigos na cidadezinha de Nazaré. Todos os anos, os pais de Jesus peregrinavam à Jerusalém para participar da festa da Páscoa. Desta vez, Jesus completava doze anos e com essa idade, o menino judeu se tornava “filho da Lei” e membro pleno da Sinagoga.
Você sabia que… Jesus passou por todas as etapas da vida de um ser humano?
Para a criança responder: Quais atitudes podemos ver em você que demonstra seu
crescimento?
Ore para que você cresça diante de Deus e dos homens.

O nosso texto diz que à medida que Jesus crescia, ele se desenvolvia em sabedoria. As
perguntas de Jesus deixaram os Mestres da Lei admirados, não eram perguntas tolas e Jesus não debatia com eles, mas buscava um entendimento das questões espirituais com mais profundidade. Um dos aspectos da sabedoria é a saúde mental e Jesus foi uma criança que cresceu em saúde mental.
Você sabia que… a sabedoria produz o melhor uso da nossa capacidade intelectual.
Para a criança responder: O que você tem feito para crescer em sabedoria?
Ore para que Deus abençoe sua escola (professores, amigos, diretores).

A palavra utilizada por Lucas para se referir à estatura pode ter dois significados: estatura física, referindo-se ao fato de que Jesus crescia em tamanho, e maturidade, apontando para o fato de que Jesus se tornava mais maduro a cada dia. Quando temos uma condição de saúde favorável, espera-se naturalmente um desenvolvimento físico e intelectual. Basta se alimentar corretamente e evitar o sedentarismo para ver o crescimento.
Você sabia que… somos pessoas em construção?
Para a criança responder: Como você tem crescido em estatura?
Ore por sua saúde e desenvolvimento.

Agora resta-nos tratar do crescimento em “graça” diante de Deus e dos homens lembrando que nossa meta é sermos transformados dia a dia à semelhança de Jesus, afinal se afirmamos ser cristãos, devemos ser como Cristo. Jesus se relacionava com diferentes tipos de pessoas. Ele atraia a atenção de muita gente e sabia lidar com as autoridades, com os mais velhos e com os menos favorecidos.
Você sabia que… o menino Jesus demonstrava respeito às autoridades?
Para a criança responder: Qual é sua atitude diante dos mais velhos, dos seus amigos e das autoridades sobre você?
Ore para que Deus ensine você a ser uma pessoa cheia de graça.

Ministério Infantil Terceira Igreja

Tornem-se como Pietra!

“…a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças,
jamais entrarão no Reino dos céus” (Mt. 18:3 NVI)

A experiência da paternidade fez-me compreender melhor o mundo da criança. Pietra é minha filha, mas por vezes acaba sendo minha professora. Em sua infantilidade natural, há aspectos que precisam ser educados, redirecionados e corrigidos. Mas há
características que são nobres, típicas da criança, e que eu também já tive mas perdi. Não podia ter perdido. Tenho aprendido com ela.

Acho que é dessa boa infantilidade que Jesus fala aqui. Herdam o Reino dos Céus aqueles que se fazem como crianças, conservando o que a infância tem de melhor. Seguem algumas dessas marcas abaixo.

1- Autenticidade – A criança é o que é, em todos os lugares, e ponto final. Pietra é íntegra: ela é uma só peça em qualquer ambiente. Por vezes isso até nos constrange! Ela é “sincera demais”, talvez quando devesse conter suas opiniões! Chamaria uma pessoa de “gorda”, ou acusaria um mal cheiro, sem mentiras ou melindres. Salvas as devidas proporções, eu queria ser mais autêntico.

2- Inocência – De tão inocentes, as crianças necessitam de cuidados especiais. É preciso deixá-las protegidas de pessoas estranhas, justamente porque essas podem fazer mau uso de sua inocência. Mas é bonito notar que o ser humano, na infância, não é tão maldoso. Inocentemente, Pietra encarna diferentes personagens, assume papéis, recita, dança e corre sem dever satisfação a nada. Eu queria ser mais inocente, mais livre. Minha malícia me acorrenta e limita.

3- Graça – Aqui, vejo que a criança consegue manifestar uma marca do próprio Cristo, a saber, a graça com que lida com nossos erros. Pietra tem um temperamento forte, e fica brava quando lhe negamos algo. Mas esquece com uma rapidez impressionante. A criança não fica remoendo, não se atém à mágoa, mas deixa-se curar. Eu queria ser mais misericordioso.

Nesse mês das crianças, minha palavra é para os adultos. Sejamos como crianças. O projeto de Deus para nós é que desenvolvamos essas marcas!

Pr. Mário Freitas – versão original publicada em outubro de 2010