Auto Pregação

Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu.” Sl.42.5

 Sim, parece coisa de maluco, mas eu garanto a você que isto irá manter sua sanidade mental em muitas ocasiões. Falar consigo mesmo pode parece algo estranho quando alguém imagina a cena, porém, nós fazemos isto constantemente sem perceber. Já ouvi o pastor Paul David Tripp repetir algumas vezes em suas mensagens a seguinte afirmação: “você é a pessoa mais influente de sua vida, porque ninguém conversa mais com você do que você mesmo”.

Sou inclinado a concordar com Paul. Estamos o tempo todo em uma longa conversa interior, a questão é, qual assunto domina essas conversas? Qual o tom, o teor do que você fala com você mesmo? Hoje quero encorajar você a ler o salmo 42 e 43 para aprender a, não somente falar com você mesmo, mas a pregar para você mesmo. Com isto quero dizer que você deve usar a Palavra de Deus a seu favor, pregando suas verdades para o seu coração, apoiando-se em sua sabedoria eterna para enfrentar suas lutas temporais, exortando, consolando, corrigindo e ensinando para seu crescimento pessoal.

Os salmos 42 e 43 formam uma unidade poética narrando a tristeza de um homem, outrora atuante na adoração pública, que agora estava excluído da comunidade e longe da presença de Deus. Cheio de altos e baixos, estes salmos desnudam nossa alma ao mostrar como a vida é de verdade, que não estamos bem o tempo todo, ficamos abatidos, depois nos reanimamos, para em seguida sentir-nos tristes novamente, contudo, o refrão do salmo é a repetição de uma “auto pregação”, proclamando para si mesmo a razão de nossa esperança, questionando as próprias dúvidas e firmando sua confiança no auxílio do Senhor.

Pregue para você mesmo! Lembre-se de quantas verdades você já aprendeu nas Escrituras, quantas qualidades magníficas do ser e caráter de Deus já brilharam ante aos seus olhos ao meditar em sua Palavra, então pregue-as para você mesmo. Seja uma boa influência para você, quando pensamentos de ódio, fracasso, invejas e outros pecados dominarem sua mente, pregue as maravilhosas promessas de Deus para você mesmo.

Exercite este habito abençoador em sua vida na suficiência de Jesus. 2Co.5.20 nos diz que somos embaixadores de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio, isto significa que não basta repetir “palavras mágicas” para que tudo fique bem, mas, relembrar para si mesmo as Escrituras que testificam de Cristo para nosso consolo e salvação (Jo.5.39), e mantenha a conversa interna sempre saudável.

Jesus te abençoe! Pr. Eduardo Nunes

 

 

Conectados na Videira

Nessa nova série de pregações, a figura da videira era bem conhecida como um simbolismo de Israel. Isaías, Jeremias e Ezequiel usaram o mesmo simbolismo para demonstrar que o Senhor havia plantado uma videira (Israel) e esperava que desse bons frutos, mas essa videira havia se degenerado e, nesse estado, fora rejeitado por Deus.

Cristo aplica a si mesmo a figura da videira, afirmando que os tempos messiânicos haviam chegado. Ao declarar “Eu sou a videira” ele estava pondo a descoberto o fracasso de Israel em cumprir sua missão, tendo-se transformado numa videira seca, sem vida. Num certo sentido, o Israel verdadeiro passaria a ser representado pelos cristãos, gentios e judeus, um Israel espiritual, nascido não segundo a carne. Isso não exclui uma futura redenção de Israel (Rm 11).

Nos vv. 2-6, Jesus apresenta o Pai como o agricultor e aquele que limpa os ramos para produzirem frutos de boa qualidade. Os ramos precisam estar ligados ao tronco, sendo alimentados por ele para se manter vivos. Sem mim, nada podeis fazer, afirma Jesus. Os ramos secos, isto é, os cristãos que não se alimentam espiritualmente através de uma comunhão constante com Cristo perdem a capacidade de produzir frutos, tornando-se inúteis.  Isso nos faz refletir em três lições importantes:

1- Precisamos entender nossa missão como igreja em tempos de crise;

2- Como ramos conectados na videira, precisamos dar frutos – em tempo de crise, podemos produzir excelentes frutos;

3- Como fruto conectado na videira, há uma promessa de Deus sobre sua vida, “salvação”, essa promessa dispões que em Deus, muito pode se fazer.

Em todo o mundo, o evangelho está se espalhando, se propagando, crescendo, florescendo e produzindo frutos. Pessoas ouvem o evangelho e, pela misericórdia de Deus, respondem e são salvas. Mas não para aí. Uma vez que o evangelho é plantado e se enraíza na vida de pessoas, continua crescendo nelas. Suas vidas produzem fruto. Elas crescem em amor, piedade, conhecimento e sabedoria espiritual, para que andem de uma maneira digna de sua vocação, agradando em tudo ao Pai, produzindo fruto em toda boa obra (Cl 1.9-10; 2.6-7).

Diante disso, gostaria de encorajar você, nessa nova série a permanecer conectado na palavra de Deus todos os domingos às 18h00, e juntos possamos nos alimentar como ramos ligados a videira “Jesus Cristo”, e descobrir através da ação do Espirito Santos os belos frutos que podemos dar.

Pr. Felipe Abreu