Pequenos Grupos (perguntas mais frequentes)

• Por que devo fazer parte de um Pequeno Grupo?

Porque acreditamos que não podemos viver em comunidade sem relacionamentos profundos e é no Pequeno Grupo que temos a oportunidade de dividir a vida com irmãos, abençoando e sendo abençoados.

• Porque os Pequenos Grupos devem se reunir em casas, dias e horários fixos?

Porque queremos proporcionar uma identidade maior para os nosso Pequenos Grupos, facilitando assim o acesso de pessoas novas a esses locais. Lembrando que todos esses (dia, horário e local) são definidos pelo líder do grupo.

• Quais são os objetivos dos Pequenos Grupos?

Os Pequenos Grupos existem para Evangelizar, Confraternizar, Edificar e Servir. O Pequeno Grupo deve ser o lugar onde os irmãos se encontram, os novatos entre nós tenham acesso e seja também uma oportunidade de se levar pessoas que ainda não conhecem a Jesus.

• Os Pequenos Grupos irão se dividir um dia?

Cremos que quando criamos um ambiente favorável para a participação e agregação de pessoas a tendência é que outros comecem a fazer parte, com isso o Pequeno Grupo deixa de ser Pequeno e o que era um pode ser multiplicado em dois, três, facilitando assim o aprofundamento de relacionamentos.

• Como devo escolher o meu Pequeno Grupo?

Você pode optar por um desses critérios: proximidade da sua casa, horário e dia disponível, empatia com o líder ou anfitrião entre outros. O que importa é que seu Pequeno Grupo seja o lugar que você deseja estar.

Participe de um Pequeno Grupo! Não perca essa oportunidade de convivência e crescimento, através da comunhão e da Palavra de Deus!

Terceira Igreja

Os privilégios de participar de um Pequeno Grupo

Zabatiero explica o que são um Pequenos Grupos (PG’s) dizendo que eles são:

ferramentas educacionais e ministeriais indispensáveis. O pequeno grupo é espaço privilegiado para o estudo bíblico, para a oração, para o serviço mútuo, para a evangelização. Mais que “transmitir conteúdos”, a vida em comunhão dos pequenos grupos é algo que educa. No pequeno grupo não é possível “esconder-se”, mantendo-se inativo e dependente do ministério de outros. No pequeno grupo, o dar e o receber da fé se tornam reais, de um modo que a grande reunião cúltica não é capaz de concretizar.1  

Por isso, consideramos que a existência de cada PG é importante para a igreja. Esse é o método adotado pela Terceira Igreja, visando a qualidade espiritual e doutrinária dos seus membros, o cuidado mútuo e a proclamação da glória de Deus por meio do exercício prático extraído do ensino das Escrituras. Conforme disse Tuler, “se a igreja local quiser assumir a responsabilidade docente de todos os seus membros, deverá adotar uma prática de educação cristã que envolva todas as suas unidades, serviços e departamentos”.⁠2 

Ficou claro que os PG’s podem ser um veículo de edificação para o corpo de Cristo, pois além de promover o conhecimento acerca de Deus, também oferece a oportunidade de praticar o que foi ensinado pela Escritura.  

Em obediência a Palavra de Deus vamos juntos: conhecer cada vez mais a Bíblia, ensiná-la, cuidar uns dos outros, louvar a Deus com alegria e gratidão, pois assim está escrito: Habite ricamente em vocês a palavra de Cristo; ensinem e aconselhem-se uns aos outros com toda a sabedoria, e cantem salmos, hinos e cânticos espirituais com gratidão a Deus em seu coração (Cl. 3.16, NVI). 

Portanto, faça parte de um Pequeno Grupo! Pois, além do privilégio de conhecer melhor a Deus, poderá cuidar de algum irmão e, igualmente, ser cuidado por alguém.   

Sem. Ednardo Guimarães

ZABATIERO, Júlio. Novos caminhos para a educação cristã. São Paulo: Hagnos, 2009, p. 59.TULER, Marcos. Abordagens e Práticas da Pedagogia Cristã. Rio de Janeiro: CPAD, 2006, p. 102.