Estudo 11 – Em cada palavra, podemos experimentar a voz do Espírito.

Oração, fraternidade, adoração, culto e sofrimento, todos são meios que Deus nos dá para desfrutarmos do nosso relacionamento com ele e nos aprofundarmos nele.

A Bíblia não é apenas um registro do que outrora aconteceu e do que outrora foi dito. Quando a Bíblia é lida, algo acontece. Quando a Bíblia é lida ou pregada, Deus fala. Em cada palavra, podemos desfrutar da voz do Espírito. Aqui mesmo, agora mesmo.

COLOCANDO EM PRÁTICA
Uma vez que a Bíblia é o modo como ouvimos a voz de Deus e desfrutamos da sua presença, desejaremos lê-la intencionalmente. Por isso, é maravilhoso ter um plano de leitura bíblica ou utilizar um devocional bíblico diário. Mas não confunda os meios com o fim. O objetivo é desfrutar de Deus; o plano de ler a Bíblia todos os dias é apenas o meio. Por isso, não sinta a necessidade de “correr atrás do prejuízo” se perder algum dia do plano — apenas pule aquele dia ou siga um dia atrasado. O objetivo não é marcar um xis em sua lista de
tarefas. O alvo é ouvir a voz de Deus. Não é como se, ao ler a Bíblia por dez minutos, você fosse receber graça proporcional a dez minutos para aquele dia. Nós vamos à Palavra para ouvir o nosso Salvador falar conosco.

Eis aqui uma maneira prática de pôr tudo isso em prática. Desenvolva o hábito de orar enquanto lê a Bíblia. Transforme a fala de Deus numa conversa de mão dupla, adorando por meio da Palavra. Muitas orações registradas na Bíblia são, na verdade, promessas bíblicas viradas em sentido contrário, apresentadas
de volta a Deus na forma de petições. Uma maneira de fazer isso é ler a passagem como um todo e, depois, relê-la um ou dois versículos de cada vez. Depois de cada seção, transforme o que você leu em oração. Você pode responder com louvor, confissão, ação de graças ou petição. No caso de uma narrativa bíblica, você pode concentrar-se em dois ou três versículos que capturem a sua atenção, ou pode sintetizar o envolvimento de Deus naquela história.

Tomemos João 14 como exemplo. Você pode ler os versículos 1 a 10 para ter o panorama geral e, então, reler o versículo 1 apenas.

Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim ( Jo 14.1).

Você pode iniciar confessando algumas das maneiras pelas quais o seu coração fica angustiado, perturbado.
Então, alegre-se no convite de Cristo para confiarmos nele. Esta é uma oportunidade de deixar com ele as suas tribulações. Então, releia os versículos 2 e 3:

Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também ( Jo 14.2, 3).

Agradeça a Jesus por preparar-lhe um lugar junto a Deus, por meio de sua morte e ressurreição. Agradeça a ele pela promessa de que ele voltará para podermos estar juntos. Peça-lhe que o ajude a enxergar suas tribulações à luz da eternidade.

[ Jesus disse:] E vós sabeis o caminho para onde eu vou. Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; como saber o caminho? Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim ( Jo 14.4–6).

Agradeça a Jesus por mostrar-lhe o caminho para Deus e lhe dar a promessa da vida eterna. Ore para que seus familiares e amigos descrentes também venham ao Pai por meio de Jesus.

[ Jesus disse:] Se vós me tivésseis conhecido, conheceríeis também a meu Pai. Desde agora o conheceis e o tendes visto. Replicou-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta. Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai […] ( Jo 14.7–9).

Louve a Deus por ele ter-se revelado perfeitamente em Jesus. Louve-o por todos os aspectos do seu caráter que vemos nas ações e nas palavras de Jesus. Expresse seu desejo de conhecer mais do Pai por conhecer mais de Jesus.

[…] como dizes tu: Mostra-nos o Pai? Não crês que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo por mim mesmo; mas o Pai, que permanece em mim, faz as suas obras ( Jo 14.9, 10).

Por meio das palavras de Jesus (escritas a nós na Bíblia), o Pai faz a sua obra. Estamos de volta ao ponto de onde começamos. Deus está presente e ativo por meio da sua Palavra. Ore para que Deus opere em sua vida por meio das palavras de Jesus, assim como na sua igreja e na missão da sua igreja.

Ler a Bíblia é um processo educacional. Enquanto lemos, aprendemos sobre Deus. Mas é muito, muito mais do que isso. É também um processo relacional. Cada palavra que lemos ou ouvimos ser pregada é uma oportunidade para desfrutarmos da comunhão com Deus. Em cada palavra lida, podemos encontrar-nos com Deus e ouvir a sua voz.

Por que eu digo à minha esposa: “Eu te amo”? Afinal de contas, eu já disse isso antes. Não é uma nova informação. Mas ela nunca reclama por eu dizê-lo de novo. As palavras “eu te amo” a tranquilizam e a fazem sentir-se segura. É o mesmo com o povo de Deus, a quem Jesus se refere como sua noiva. Todos os dias, nossos pecados nos dão razões para nos questionarmos se Cristo ainda nos ama. Porém, todos os dias — se apenas lhe dermos ouvidos —, Cristo nos reassegura seu amor, em sua Palavra. O seu principal objetivo ao ler a Bíblia não é encontrar ideias novas ou inovadoras (embora você possa encontrar algumas novas ideias ao ler). Faça com que seu objetivo seja ouvir a voz de Deus e encontrá-lo em sua Palavra.

AÇÃO
A cada dia nesta semana, ore por meio de uma passagem da Escritura.
Uma manhã de segunda-feira na vida de Marcos e Emanuela Marcos fecha os olhos. Tenta lembrar o sermão de ontem. O que o pastor disse? Algo sobre Cristo ser a nossa justiça. Nada de novo. Marcos ouvira aquilo muitas vezes antes. Mas foi um grande conforto ouvir aquilo ontem. E era um conforto lembrar-se daquilo, de novo, esta manhã.
Marcos pensa no dia que terá pela frente. É tão fácil para ele encontrar sua identidade no seu trabalho. Se o dia correr bem, ele se sentirá muito bem consigo mesmo. Mas, se o dia for ruim, ele irá arrastar-se para casa completamente desanimado. Sua mente se volta para a reunião mensal que terá com o chefe à tarde.
Como ele se sentirá depois dela? Mas, então, ele pensa em si mesmo apresentando-se diante de Deus, coberto com a justiça de Cristo. Ele pensa em toda a dignidade de Cristo o envolvendo. Durante o sermão de ontem, ele sentira como se Deus estivesse falando diretamente a ele. Uma palavra de Deus somente para ele, somente para aquela reunião da tarde. “E agora”, ele pensa, “o Espírito Santo está me lembrando daquela palavra”.
Pouco depois disso, Emanuela está caminhando até a porta da casa de Amanda. Elas se encontram quase toda semana para ler a Bíblia juntas e orar. Emanuela tenta lembrar-se do que elas haviam lido na semana passada. Algo em Filipenses. Algo sobre conhecer a Cristo. Fosse o que fosse, ela se lembra de ter ficado empolgada com o assunto na ocasião.
Isso mesmo: viver é Cristo e morrer é lucro — algo assim. O Espírito Santo de fato havia falado com ela enquanto ela e Amanda liam juntas a Bíblia. Até a morte é uma boa notícia se você está vivendo para Cristo.
Aquilo fora tão tranquilizador! Ainda é. Não importa o que ocorra com ela ou com sua família, ela sempre terá a Cristo. “Preciso ouvir isso repetidamente”, Emanuela pensa. “Obrigado, Espírito Santo, por me lembrar do evangelho na semana passada. Por favor, continua a mantê-lo vivo em minha mente”.

QUESTÕES PARA REFLEXÃO
• Em que situações a leitura da Bíblia parece um maravilhoso deleite para você? Quando ela parece uma tarefa desgastante? O que faz a diferença entre umas e outras situações?

• Qual a última vez em que você sentiu que Deus falava com você por sua Palavra? Como você poderia se aproximar da sua Palavra de modo a ouvir a sua voz?

• Como você planeja a sua leitura bíblica? Que mudanças você poderia fazer?

• Como você experimentou o envolvimento do Espírito Santo em sua vida nas últimas 24 horas?

Guia de Estudo EXPERIMENTANDO MAIS DE DEUS, por Tim Chester – Editora Fiel